Saturday, March 31, 2007

Os meus medos.....

Espectadores.... Somos todos espectadores da história que se faz diante dos nossos olhos. Mas por muito que me esforçe não consigo parar de ter a impressão que conheço este argumento. Os actores não reconheço, mas aquilo que eles dizem é me estranhamente familiar. Há já algum tempo que reparo em sinais, em pequenas manifestações, descobertas, decepções... mas nada de importante, de relevante, de assustador. Aquilo que assusta é a suspeita, o "suspense", a hipótese provável de ser mais uma matiné da mesma história, repetida ciclicamente desde o começo do conceito de sociedade. A cada sinal, mais um ponto em comum, nada que cause terror.
Mas a hipótese de se virem a repetir os tempos de dificuldade, de injustiça, terror.... trazem esse mal-estar.
Um primeiro sinal, á coisa de 1 ano e meio, um suposto crime organizado, perpretado por minorias étnicas numa praia de moda. Coisa de escândalo, de nome mediático, "arrastão", mas a uma escala diferente, uma ilusão. Quem poderia iludir assim a opinião pública? mas mais importante do que quem, porquê? Se formos optimistas... um grupo isolado, uma percentagem pequena, ou então... um movimento em recrutamento...
Imediatamente surge uma face pública do velho vilão das histórias passadas, para manifestar-se no Marquês de Pombal contra os "diferentes"...
Estou a ficar farto deste filme, mas não consigo parar a cassete. As pessoa vêem aquilo que têm á frente, e não tentam aprender com as histórias que já conhecemos.... Somos perfeitos? Nem pensar nisso. Estamos bem? Podíamos estar muito melhor. É inútil trabalhar para isso? Não!
O problema é este nervoso miudinho... é esta hipótese. Poderíamos correr e fugir para onde quisessemos mas ela estaria sempre lá... A opinião pública a mudar, as pessoas a cederem à virtual maioria.
A pensarem? Sim, mas não sem antes cederem à tentação daquele sentimento de pertencerem aos "bons", e aceitarem as condições de adesão. Pensando naquilo que vêem e experimentam, e esquecendo a história que nos parece tão familiar. Não olhando para a justificação.
Por fim acalma-mo-nos, e pensamos, que disparate... é um punhado de rapazes que não pensaram bem no que disseram. E fechamos os olhos com força e fingimos que nunca se passou..... até voltar a acontecer.

Penso que está a acontecer....

1 comment:

Inha said...

A história repete-se: é verdade. A evolução da sociedade é descontínua, feita de saltos: também é verdade. Tendo em conta que o período entre estes saltos é cada vez mais curto (no último século tivemos duas revoluções declaradas como tal,além de períodos de regimes militares, etc) a probabilidade de estarmos no limiar de uma nova transição é cada vez maior. Infelizmente não vejo as pessoas abertas a uma sociedade humanista. A sociedade tem tendência a escolher o caminho da não responsabilização, isto é, da escolha de uma alternativa em que não tem a liberdade de fazer escolhas, mas acaba por não ter responsabilidades. É assustador pensar num mundo em que as pessoas não olham para o lado por medo, por perguiça, pelo que quer que seja...